Sente e relaxe!!! O Papo vai ser legal....

Sente e relaxe!!! O Papo vai ser legal....

sábado, 2 de novembro de 2013

O avanço da ciência !





Há uns meses atrás participei de um Congresso direcionado á audiologia. Desde então tenho tentado me aprofundar mais na questão da reabilitação auditiva.

Não estou me referindo apenas ao uso do aparelho auditivo ou ás questões de causas da perda auditiva e sim sobre o que está sendo feito em relação á novos estudos e novas perspectivas para a reabilitação da audição.

No Congresso vi coisas sobre o Implante coclear, confesso que há alguns anos tinha um tipo de pré-conceito sobre o assunto...isso mesmo.."pré-conceito" porque não sabia ao certo do que se tratava. Depois de um tempo resolvi estudar o assunto (inclusive fiz um post sobre isso) e hoje, basta olhar no google ou nas redes sociais para deparar-se com um vídeo sobre a ativação do implante coclear e entender a importância desse equipamento na vida da criança ou do adulto que nasceu ou tornou-se surdo.



Além disso, nas ultimas semanas, tenho encontrado vários artigos sobre as células-tronco.
Mas qual a relação das células-tronco com a audição?
Primeiro temos que entender o que são as células-tronco:

Segundo Wikipédia, As células-tronco são células que possuem a melhor capacidade de se dividir dando origem a duas células semelhantes às progenitoras. As células-tronco de embriões têm  a capacidade de se transformar, num processo também conhecido por diferenciação celular, em outros tecidos do corpo, como ossos, nervos, músculos e sangue.


Li sobre experiências em camundongos numa Universidade dos Estados Unidos onde foi levantada a hipótese de que as células-tronco podem substituir células danificadas do sistema auditivo podendo recuperar ou desenvolver a capacidade de audição.
Li também sobre uma experiência em que as células-tronco podem tornar-se neurônios auditivos ( células sensórias). Estas células sendo implantadas cirurgicamente pode restaurar a audição.

Claro que a atuação com células-tronco ainda é restrita, no momento as experiências são muitas na área. A experiência com humanos ainda não foi feita e possivelmente vai levar tempo.

Na reabilitação auditiva temos muitos recursos em mãos : Aparelhos auditivos com tecnologia que avança numa velocidade inacreditável, implante coclear que têm sido cada vez mais acessível á toda população e os estudos com células-tronco .Pra mim que trabalho com audiologia diariamente chega a assustar o avanço da ciência nessa área e o quanto ela ainda promete...mas também nosso papel como reabilitadores é estudar e tirar cada vez mais informações sobre os recursos para poder usá-los como ferramentas no atendimento ao deficiente auditivo ,levando-se em conta a necessidade de cada paciente.






terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A AUDIÇÃO E O EQUILIBRIO

            


Os principais sensores do sistema do equilíbrio estão no labirinto, olhos, músculos, ossos e articulações.

Essas estruturas são responsáveis por mandar informações sobre a nossa posição para o cérebro que analisa estas informações e faz ajustes para manter um equilíbrio perfeito. O cerebelo também ajuda nessa tarefa. Tudo funciona com muita harmonia, como se fosse uma orquestra.





  Sei que é um pouco difícil relacionar equilibrio com a audição. Quem lê essa frase considera que estou citando coisas totalmente diferentes nesse texto, há não ser que você tenha prestado MUITA atenção nas suas aulas de ciências ou biologia, quando o professor (a) mostrou o labirinto...lembra dele?Então ele é o principal fator que liga a audição ao equilibrio...é aí que começa nossa história.


                 Esse é o aparelho vestibular que compões nosso sistema auditivo, vemos a cóclea e os canais semicirculares.
                 O aparelho vestibular tem duas funções , uma delas é a audição que é responsabilidade da cóclea e outra função é o equilibrio que é função do labirinto (essa parte da ilustração que possue os canais semicirculares).
                O aparelho vestibular é formado por estruturas ósseas e por dentro é formado por estruturas membranosas e líquidos que enviam ao córtex cerebral informações da nossa posição no espaço, recebendo informações sensoriais e motoras para funcionar normalmente.Só assim podemos andar, pular, correr etc.
Em condições normais nosso equilibrio depende de um funcionamento harmonioso entre sistema visual, proprioceptivo e vestibular, a falta de harmonia entre esses sistemas geram os sintomas vestibulares (tontura, desequilibrio, náusea etc) tudo isso porquê o nosso organismo ativa o mecanismo de compensação, isto é, o nosso organismo trabalha para compensar de alguma forma aquilo que não está funcionando bem. Após esse processo de compensação temos o processo de adaptação que é um processo que auxilia o indivíduo com lesão vestibular á recuperar o seu equilibrio, podendo voltar a sua rotina normal .

                 

sábado, 12 de janeiro de 2013

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A audição do idoso - BOS – Banco de Olhos de Sorocaba

Um texto feito com muito carinho para o Hospital Oftalmológico de Sorocaba.






A audição do idoso - BOS – Banco de Olhos de Sorocaba

quarta-feira, 11 de abril de 2012

                          Dia 16 de abril é o dia mundial da voz.

      Muitas pessoas, inclusive na área da Fonoaudiologia, imaginam a voz como um instrumento importante apenas para quem trabalha com a voz como instrumento de trabalho, por exemplo : professores, atores, cantores, telefonistas, pastores etc. Realmente a voz é fundamental na vida profissional dessas pessoas e precisa de atenção especial,massss......

        ....A voz é tão importante quanto a audição e a visão,por exemplo, quem discorda? A falta dela trás inúmeros transtornos dentro de casa com a família, ao sair na rua, com amigos, no trabalho etc. Infelizmente a maioria das pessoas só se dá conta dessa importância quando a "voz some" (a chamada Afônia ou Disfonia-dependendo do caso).

          O papel da Fonoaudiologia é sempre orientar não só os profissionais da voz,como também a população em geral...pensando não apenas na assistência,mas também na promoção da saúde vocal e prevenção de problemas vocais.



quinta-feira, 1 de março de 2012

                       PERDA AUDITIVA CONGÊNITA OU ADQUIRIDA



A Deficiência Auditiva, assim como outras deficiências, tem incidência significativa na população, sendo considerada inclusive um problema de saúde pública no nosso país.






Os chamados deficientes auditivos podem apresentar perda auditiva parcial ou total e essa perda pode ser congênita ou adquirida.


                                                                  http://www.corposaun.com/

 
Consideramos perda auditiva congênita aquela causada antes do nascimento ou até o primeiro mês de vida,como por exemplo: Doenças infecto-contagiosas durante a gravidez ( Rubéola, toxoplasmose etc.) ; Uso de drogas; carência de vitaminas, exposição á radiação; diabetes etc.


Intercorrências durante o parto como: anóxia, prematuridade.





A Perda Auditiva adquirida ocorre ao decorrer da vida do indivíduo, pode ser por exposição diária ao ruído; trauma acústico ou craniano; doenças (meningite, caxumba, sarampo etc);predisposição genética; ou uso de medicamentos ou agentes ototóxicos entre outros fatores desencadeantes.





Seja qual for a causa da perda auditiva, seja ela adquirida ou congênita o importante é a detecção da perda e intervenção precoce, voltada principalmente para evitar as seqüelas dessa deficiência no indivíduo, principalmente em crianças já que envolve seu desenvolvimento tanto social como de linguagem e no adulto a influência está na família, no trabalho e na sociedade, diminuindo a sua qualidade de vida.